«

»

ago 10

Femquifert participa, ao lado da Força Minas, da recepção de delegação de sindicalistas chineses em Belo Horizonte

IMG_0010 [800x600]O presidente da Força Sindical de Minas Gerais, Vandeir Messias Alves, recepcionou uma delegação de sindicalistas chineses da província de Jiangsu, que visitaram Belo Horizonte na última semana. Alves, que também é presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas, Plásticas e Farmacêuticas de Belo Horizonte e Região (SindLuta), recentemente visitou a mesma província na China. Ao seu lado, estiveram presentes representantes da Força Sindical nacional e de diversos sindicatos filiados à central, bem como a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas, Plásticas, Farmacêuticas e de Fertilizantes de Minas Gerais (Femquifert), através de seu presidente Carlos Cassiano.

IMG_0022 [800x600]Liderado por Cao Hai, vice-presidente da União Sindical da Província de Jiangsu, o grupo foi integrado por Miao Jianhua, diretor Internacional do Departamento de Liaison; Zhang Yuewu, secretário do partido e vice-presidente da Federação Municipal de Huaion; Zhang Fan, vice-presidente da Federação Municipal de Wuxi; Wang Yongkang, presidente da União Sindical de Zhangjiagang, e Feng Zhi, secretário do partido e vice-presidente Federação Municipal de Huaion.

Na manhã de sexta-feira (7), a delegação visitou o maior museu de arte moderna aberto do mundo, o Inhotim, que fica na cidade de Brumadinho, a 50 km da capital mineira. Após a visita, o grupo almoçou em uma churrascaria em Contagem e na sequência partiu para um encontro na prefeitura de Belo Horizonte, com o secretário de Governo, Vitor Valverde, e o secretário do Trabalho e Emprego, Alvimar de Paiva.

IMG_0080 [800x600]O presidente da Força Minas, Vandeir Messias Alves, agradeceu os secretários pela recepção dos sindicalistas e resgatou a importância da visita dos chineses pelo estreitamento das relações sindicais bilaterais, destacando a aproximação entre o estado de Minas Gerais com a China. O sindicalista frisou que a presença dos representantes chineses aprimora o relacionamento dos mineiros com os países que compõem o BRICS, uma associação de comércio formal, aos moldes da União Europeia, criada em 2011, que reúne o Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Cao Hai, vice-presidente da União Sindical da Província de Jiangsu, agradeceu a recepção da prefeitura e citou a visita da delegação brasileira à cidade, em dezembro de 2014, defendendo o fortalecimento das relações entre os sindicatos das duas nações, “pois os trabalhadores são um componente importante na consolidação das economias”, disse. Para ele, as diferenças entre as duas nações sugerem um aprendizado mútuo, fato que justifica a presença da delegação chinesa no Brasil.

 

Intercâmbio sindical: Brasil e China

IMG_0055 [800x600]Principal momento da visita, a reunião entre sindicalistas chineses e mineiros foi realizada nas dependências do Mercure Lourdes Hotel, no final da tarde de sexta-feira (7). Na oportunidade, o presidente da Força Minas, Vandeir Messias, traçou um paralelo entre a realidade brasileira com a crise internacional que, segundo ele, “bate mais forte na porta do Brasil e requer esforço redobrado dos trabalhadores, na busca de alternativas de sustentabilidade”.

Antevendo um desafio colocado para os países que integram os BRICS (Brasil, Rússia, India, China e África do Sul), Vandeir Messias acredita que as semelhanças existentes entre Brasil e China, tais como potencial econômico, além da persistência e da capacidade de organização, são instrumentos capazes de promover a superação dos problemas.

IMG_0077 [800x600]Entre os mecanismos disponíveis, o líder sindical citou as redes mundiais de trabalhadores e lembrou a razão de ser do intercâmbio com os chineses, já que as empresas adotam políticas comuns em todo o globo. Ele ainda frisou a importância dos acordos bilaterais entre China e Brasil nas áreas de transportes, ferrovias, energia e infraestrutura, expressando a fé na produção de progresso, estabilidade no emprego e nas garantias sócias, “especialmente para a juventude”, declarou.

Ao final do encontro, houve troca de presentes entre chineses e mineiros e um jantar com comidas e bebidas típicas de Minas Gerais, além de uma apresentação cultural.