«

»

set 15

Femquifert realiza Seminário Reforma Trabalhista e Reestruturação Sindical

DSC_0094 [1024x768] (1)

GALERIA DE FOTOS

Aconteceu nesta quinta-feira (14), a primeira parte do Seminário Reforma Trabalhista e Reestruturação Sindical, no Hotel Ibis, em Betim, Organizado pela Federação Mineira dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas, Plásticas, Farmacêuticas e Fertilizantes de Minas Gerais – Femquifert-MG, o seminário tem como objetivo informar as lideranças sindicais sobre as mudanças que entrarão em vigor com a Reforma Trabalhista; bem como discutir saídas para minimizar as perdas que os trabalhadores estão sofrendo.

Todos os presentes tiveram a oportunidade de se apresentar e falaram um pouco da expectativa para o seminário. Após cada explanação, houve sorteio de brindes entre os participantes, os quais somente seriam premiados mediante resposta correta sobre questões relativas ao tema exposto. O objetivo foi o de valorizar a participação dos dirigentes sindicais.

Carlos Cassiano, presidente da Femquifert, fez uma breve apresentação do seminário, que faz parte do Ciclo do Saber, um projeto que começou em 2004, com a participação das duas palestrantes, e que visa levar conhecimentos e formação às lideranças sindicais e funcionários das entidades sindicais.

“O Seminário tem uma importância impar, que é a de despertar nos dirigentes sindicais o sentimento sobre a necessidade de sair da inércia e do comodismo e focar suas atenções para um novo momento de luta e enfrentamento. O objetivo é impedir a precarização dos direitos trabalhistas, propostos e dispostos na reforma trabalhista”, destacou.

“Fundamentos e formação histórica do Direito do Trabalhista, Flexibilização, Desregulamentação da CLT através da Reforma Trabalhista” foi o primeiro tema abordado pelas palestrantes Fabiana Salgado Resende e Tatiana de Cassia Melo Neves, advogadas especialistas em direito do trabalho e que advogam exclusivamente para trabalhador e sindicatos.

Fabiana Salgado advogou a favor da CLT e contra a reforma. Para exemplificar mostrou exemplos de trabalho escravo em que trabalhadores foram resgatados e empresas multadas graças à CLT.

“A reforma veio com o objetivo para implodir a justiça do trabalho. O Capital diz ‘chega do Estado regulamentador’, ou seja, não aceita mais que o Estado faça a mediação entre trabalhador e patrão”, frisou Tatiana de Cassia.

“A CLT é atual, oferece garantias, não é retrógada como o governo federal diz ser”, complementou.

“Garantias sociais representam a mão do Estado e, para o Capital, devem sair de cena, pois geram alto custo na folha de pagamento”, acrescentou.

Seguindo a programação, Carlos Cassiano proferiu palestra sobre “Resgaste Histórico do Direito do Trabalho”. Ele falou sobre a história do trabalho, fazendo um resgate para então discutir as relações trabalhistas atuais e como serão impactadas com a reforma.

Na segunda parte do seminário, Fabiana Salgado expôs o tema “Principais alterações da Reforma Trabalhista e implicações legais”, explicando como os trabalhadores perdem em direitos e no valor do salário que recebem.

Após o almoço, Fabiana Salgado continuou sua palestra ao falar sobre o tema “Principais alterações da Reforma Trabalhsita e as implicações legais no Âmbito Coletivo”. Ela destacou as mudanças da reforma trabalhista, seus pormenores e como os trabalhadores estarão prejudicados a partir do dia 11 de novembro deste ano, quando a reforma entra em vigor.

Para finalizar o primeiro dia do seminário, as palestrantes organizaram, com os presentes, dinâmicas interativas para que pudessem discutir e aprofundar os principais pontos discutidos durante todo o dia.

Nesta sexta-feira (14), o seminário prossegue com a palestra “Reflexões e a Construção de um novo contexto jurídico”; a exposição da jornalista Camila Martucheli sobre “Comunicação Sindical no Contexto da Reforma Trabalhista”; finalizando com a exposição do presidente Carlos Cassiano sobre “Reestruturação Sindical Brasileira” e a entrega dos certificados.