«

»

jun 03

Químicos da Força lançam Carta Aberta em Repúdio aos desrespeitos e arbitrariedades cometidos pela direção da IMBEL

imbel-chamada

A representação dos trabalhadores na IMBEL (Indústria de Material Bélico do Brasil), empresa do governo brasileiro, vinculada ao Ministério da Defesa, por intermédio do Comando do Exército, vem a público repudiar as ações arbitrárias dos diretores da IMBEL, que contrariam expressamente a liberdade sindical, prevista no art. 8º da Constituição Federal Brasileira, e também regida pela Convenção N.87 da OIT (Organização Internacional do Trabalho), agência multilateral da ONU (Organização das Nações Unidas).

Nesse sentido, reafirmamos que as práticas antissindicais inseridas nas ações tomadas pela direção da IMBEL, afrontam incisivamente o princípio da Boa-Fé que deve nortear as negociações coletivas, sendo que, entre as afrontas e abusos, práticas contumazes da mencionada empresa, devemos também enumerar:

1) A dispensa dos trabalhadores e dirigentes sindicais Jeferson Pinto Ferreira, Marcos Savio Venâncio, Paulo Henrique Gonçalves e Wanderson Silva Domingues, pertencentes ao quadro de funcionários da empresa na unidade de Piquete SP, sendo que os mesmos são portadores de estabilidade prevista na Constituição Federal e na Legislação Infraconstitucional;

2) Deixar de cumprir expressamente Acordo Coletivo de Trabalho assinado perante o vice-presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho);

3) Que, ao longo dos anos, a direção da IMBEL vem criando sucessivos embaraços em relação ao cumprimento do Acordo Coletivo, celebrados anualmente entre patrão e empregados;

4) Histórico de atrasos nos salários, cancelamento de plano de saúde e de auxílio-alimentação, além da ocorrência de acidentes de trabalho.

Assim serve a presente, para denunciar tais práticas que atentam contra a liberdade de organização sindical dos trabalhadores brasileiros, representando verdadeira prática antissindical e afronta às normas internacionais e locais em defesa dos trabalhadores e da democracia.